O Centro Histórico, articulado em volta do famoso Pelourinho (lugar onde os escravos eram castigados), caracteriza-se pela sua fidelidade à planta original do século XVI, e pela concentração e a homogeneidade das suas construções, em um local acidentado e pitoresco, exaltando a beleza urbana através de perspectivas incríveis e charmosíssimas.

Ao lado de edifícios maiores dos séculos XVII e XVIII, como a catedral, os conventos de São Francisco (azulejos maravilhosos), de São Domingos, do Carmo, e de Santo Antônio, o Pelourinho conserva uma grande quantidade de palacetes do século XVI e da época barroca. Ele possui mais que tudo inúmeras ladeiras características da cidade colonial, inteiramente bordadas por casas multicoloridas com tons vivos, algumas com adornos de grande qualidade, entre varias igrejas ricamente decoradas (Salvador tem 365 igrejas!).

Tombado pela UNESCO em 1985, o Pelourinho passa por uma reforma importante iniciada na década 90. O cantor Gilberto Gil nasceu aqui, e é neste bairro que está localizada a casa do mais famoso escritor baiano Jorge Amado. O fotógrafo Pierre Verger e o pintor Carybé, baianos adotivos, moraram aqui. Bairro muito popular e animado, o « Pelô », como é chamado com carinho, é o centro da vida noturna de Salvador, particularmente procurado pelos amadores de festas improvisadas, de música enlouquecida, de bares coloridos e agitados aonde o clima das noites tropicais chega ao seu ápice. A tradicional benção do bairro, toda terça-feira, é uma perfeita ocasião para a organização dessas festas.
Durante o dia, as ruas pedestres do Pelourinho são cheias de lojas de souvenir e de ateliês de artistas, para o gosto de todos.
Este conjunto único faz de Salvador a cidade com os maiores vestígios coloniais do Nordeste.